gallery/log idsdc 2

IDSDC

gallery/logo
 You   
Nova pagina 1Nova pagina 2

O sistema de nosso site não permite downloads dos estudos, mas você pode solicitá-los em PDF, entre em contato pelo portal do site e solicite gratuitamente, enviaremos por email. Estamos à disposição para atender em tudo que estiver ao nosso alcance. Fale Conosco

 

 

 

Nova pagina 2
  Home

O Tempos de Restauração de Todas as Coisas

 

Tempo de refrigério pela presença do Senhor

O milênio será um período de restauração da Terra. Os profetas de Deus anunciaram um tempo para que todas as coisas fossem restauradas, e este tempo foi chamado pelos apóstolos como (O Tempo de refrigério) "[...] e venham os tempos de refrigério, pela presença do Senhor, e envie ele a Jesus [...], ao qual convém que o céu contenha até os tempos da restauração de todas as coisas, das quais Deus falou pela boca dos seus santos profetas, desde o princípio" (Atos 3.19-21).

 

Toda carne será destruída como nos dias do dilúvio?

Preservar a semente humana sobre a terra, no milênio, não é apenas uma promessa de Deus; muito mais que uma promessa, o Criador firmou um pacto com toda carne sobrevivente ao dilúvio nos dias de Noé, que não haveria mais dilúvio para destruir a Terra, nem tornaria a destruir todo vivente como aconteceu naquele tempo. "E eu convosco estabeleço a minha aliança, que não será mais destruída toda a carne [...] (Gênesis 9.11).

 

O texto em apreço não contempla somente o dilúvio como agente de destruição a ser evitado. Deus promete não mais amaldiçoar a Terra com uma destruição total, seja como for, pelo dilúvio, pelo fogo ou qualquer outro meio. "[...] Não tornarei mais a amaldiçoar a terra por causa do homem [...] (Gênesis 8.21).

 

A promessa de Deus vai um pouco mais além, isto é, enquanto a Terra existir, existirá sementeira sobre ela, e gente para lavrá-la em todas as estações de ano em ano. "[...] nem tornarei mais a ferir todo o vivente, como fiz. Enquanto a terra durar, sementeira e sega, e frio e calor, e verão e inverno, e dia e noite, não cessarão" (Gênesis 8.21,22).

 

Quem será levado e quem será deixado?

A volta de Jesus, segundo Suas próprias Palavras, será semelhante aos dias de Noé, em que os ímpios foram levados à destruição, e os justos foram deixados em vida, assim será também na vinda do Filho do Homem. "E assim como foi nos dias de Noé, assim será também a vinda do Filho do homem" (Mateus 24.37).

 

Se nos dias do dilúvio, os justos permaneceram sobre a terra, e os ímpios foram levados pelas águas do dilúvio, da mesma forma deve acontecer nos dias do retorno do Messias. "[...] até ao dia em que Noé entrou na arca. E não o perceberam, até que veio o dilúvio, e os levou a todos, assim será também a vinda do Filho do homem" (Mateus 24.38,39).

 

Quem foi levado nos dias de Noé? Não é necessário responder a esta pergunta, porque ela já está respondida no texto de Mateus: "até que veio o dilúvio, e os levou a todos", assim será também na vinda de Jesus. "[..] estando dois no campo, será levado um, e deixado o outro" (Mateus 24.40).

 

As palavras de Jesus confirmam as profecias e as promessas de Deus em preservar os justos sobre a terra, como afirma o sábio Salomão: Os justos habitarão a terra, e os íntegros permanecerão nela. (Provérbios 2.21). Por outro lado, os ímpios, serão retirados da terra, como diz a profecia: "Mas os ímpios serão arrancados da terra, e os aleivosos serão dela exterminados" (Provérbios 2.22). 

Davi também profetiza a eliminação dos malfeitores e a permanência dos justos sobre a Terra. Porque os malfeitores serão desarraigados da terra; disse o salmista. (Salmos 37.9). Isto é verdade, porém, precisamos saber como estas coisas se sucederão neste processo. Davi diz ainda: "mas aqueles que esperam no Senhor herdarão a terra" (Salmos 37.9). Em outro versículo o salmista profetiza a permanência para sempre dos justos sobre a terra. "Os justos herdarão a terra e habitarão nela para sempre" (Salmos 37.29).

 

Bem, que os justos permanecerão na terra não temos dúvidas, e que os ímpios serão arrancado da terra, isto também não podemos negar, porque são fartos os textos bíblicos que respaldam esta realidade. 

 

Como acontecerão estas coisas?

A vinda de Cristo é o início dos juízos de Deus sobre as nações que não O servem. O livro do Apocalipse esclarece que a Terra não será destruída, e sim, os homens que agora a destroem. Naquele tempo, como diz a profecia do Apocalipse, será o dia da ira de Deus, as nações entrarão em guerra contra o Messias, todos os santos mortos, desde os profetas até os remidos pelo nome de Jesus, ressuscitarão, e Jesus lhes dará galardão. "[...] E o tempo de destruíres os que destroem a terra" (Apocalipse 11.18).

 

A profecia é muito clara. Ao contrário do que se pregam, a terra não será destruída, e sim, os homens que a destroem. Desta forma as promessas de Deus serão cumpridas, e a vida na terra será preservada.            

 

Mas como acontecerão estas coisas? Serão exterminados os ímpios da face da terra ou restarão sobreviventes das nações durante o milênio? Aqui está o ponto interrogativo da maioria dos estudiosos da Bíblia. Comumente se prega que a volta de Jesus é o fim de todas as coisas. De acordo com este entendimento, Jesus volta, leva os santos para o Céu, destrói os ímpios e entrega a terra ao domínio de Satanás. Onde está escrito isto?  Seria isso mesmo?

 

Não! A vinda do Messias será apenas o início dos mil anos e muitas coisas acontecerão durante este período. É exatamente neste tempo que se inicia "O Tempo do Refrigério" pela presença do Senhor. (Atos 3:19-21). No entanto, a preservação da raça humana sobre a Terra não implica na salvação mediante o evangelho. Os que escaparem da terrível batalha do Armagedom, serão contados como sobreviventes, e não como salvos. Os que se salvarem, porém, serão arrebatados ao encontro do Senhor nos ares e participarão do Reino Milenar, com Jesus, exatamente sobre estas nações sobreviventes. "[....]e eles reinarão sobre a terra." (Ap 5:10).

 

Aos salvos (Igreja), Jesus concederá que se assentem consigo em Seu trono e tenham autoridade sobre as nações sobreviventes. "Ao que vencer [...] eu lhe darei autoridade sobre as nações, e com vara de ferro as regerá, quebrando-as do modo como são quebrados os vasos do oleiro, assim como eu recebi autoridade de meu Pai" (Apocalipse 2:26,27).

 

De fato a Bíblia diz que os ímpios serão exterminados, isto é bíblico e ninguém pode negar, mas não de uma só vez. Haverá um tempo de mil anos para a erradicação do mal de cima da terra. É um processo onde primeiro será estabelecido o reino messiânico para julgar as nações. Vejamos como estas coisas acontecerão cada uma em sua ordem a partir da volta do Messias e a ressurreição dos santos: "Mas cada um por sua ordem: Cristo as primícias, depois os que são de Cristo, na sua vinda" (1Coríntios 15.23)          

 

É importante lembrar que somente os santos ressuscitarão na vinda do Messias: "Mas os outros mortos não reviveram, até que os mil anos se acabaram. Esta é a primeira ressurreição" (Apocalipse 20.5). Na vinda de Jesus, os santos de todos os tempos ressuscitarão, e subirão ao Seu encontro nas nuvens, e com Ele descerão sobre o Monte das Oliveiras: "E naquele dia estarão os seus pés sobre o monte das Oliveiras [...]" (Zacarias 14.4).

 

Vamos voltar um pouco ao assunto do dilúvio. De acordo com as Palavras de Jesus, Sua vinda será semelhante aos dias de Noé. O juízo de Deus no dilúvio durou 150 dias, assim será também a volta do Filho de Deus. Haverá um período de mil anos entre a primeira e segunda ressurreição, e durante este tempo, Jesus reinará e julgará as nações sobre a Terra, e os santos reinarão juntamente com Ele. "Mas convém que reine até que haja posto a todos os inimigos debaixo de seus pés" (1Coríntios 15.25).

 

Como vimos, Cristo volta, ressuscita os santos, dá-lhes o reino como galardão, e domina sobre as nações. "E vi tronos; e assentaram-se sobre eles, e foi-lhes dado o poder de julgar; [...] e viveram, e reinaram com Cristo durante mil anos" (Apocalipse 20.4).            Em relação ao fim, disse o apóstolo: virá, mas é necessário que o Messias reine e coloque a todo o império(s), e toda a potestade e força debaixo de Seus pés. Aí então vira o fim. Quando o Cristo entregará o Reino ao Pai. (1Coríntios 15.24).

 

Paulo é categórico, convém que o Cristo reine até que todos seus inimigos sejam colocados debaixo de Seus pés. É necessário que Ele pise o lagar da ira de Deus, como está escrito: (Apocalipse 19.15).

 

O profeta Malaquias anuncia acontecimento semelhante para o grande dia de Deus: "E pisareis os ímpios, porque se farão cinza debaixo das plantas de vossos pés" (Malaquias 4.3).

 

Os mil anos será um período de profundas transformações em toda Terra. Na primeira vinda de Jesus, os inimigos logo tentaram destruí-Lo. "[...] enviou-lhes seu filho, dizendo: Terão respeito a meu filho" (Mateus 21.37). Satanás quis tomar o reino de Jesus porque sabia que seu tempo neste mundo está próximo. Vendo o filho herdeiro do reino; disseram: "vamos matá-Lo e a herança será nossa" (Mateus 21.38).

 

Mas Jesus ressuscitou; venceu a morte e voltará com poder e grande glória para reger as nações com vara de ferro [...]" (Apocalipse 19.15). Reger com vara de ferro é um sinal de que haverá nações pecadoras durante os mil anos. A morte foi a primeira maldição a abater-se sobre os viventes no Éden, e será o último inimigo vencido pelo Cordeiro ao final do milênio. [...] o último inimigo que há de ser aniquilado é a morte" (1Coríntios 15.26).

 

Certas profecias da Bíblia deixam pessoas incrédulas quanto ao milênio devido ao alto grau de complexidade em seus enunciados, porém, uma abordagem mais aprofundada sobre o contexto destas profecias deixará claro o sentido literal em que elas foram escritas. Zacarias, por exemplo, profetiza até o nome da cidade afetada pelos efeitos do terremoto provocado pelo retorno de Cristo sobre o Monte das Oliveiras. "[...] e o monte das Oliveiras será fendido pelo meio [...] pois o vale dos montes chegará até Azel [...] " (Zacarias 14.5). O Messias virá pessoal e poderosamente e todos os santos estarão com Ele. (Zacarias 14.5).

 

Moisés foi enviado ao Egito como libertador do povo de Israel, o Criador, pois, o envio naquela missão como Deus. "[...] e tu lhe serás por Deus" (Êxodo 4.16).

 

A missão de Moisés era de tamanha importância que o Criador o enviou como Deus. Afinal, ali Moisés era uma figura do Messias, pois havia de libertar os israelitas e conduzi-los à terra prometida. Jesus virá como Rei dos reis e Senhor dos senhores. "E no manto e na sua coxa tem escrito este nome: Rei dos reis, e Senhor dos senhores. (Apocalipse 19.16).

 

Zacarias diz ainda: "E o Senhor será rei sobre toda a terra; naquele dia um será o Senhor, e um será o seu nome" (Zacarias 14.9). Finalmente Jerusalém se tornará uma cidade de paz e prosperidade, os judeus se converterão ao Messias e O servirão no Seu reino.

 

O que mais diz a Bíblia sobre o fim?

A preservação da raça humana na Terra é o principal motivo da prisão de Satanás. O Diabo será preso para não enganar as nações sobreviventes do Armagedom que estarão habitando a terra durante os mil anos. (Apocalipse 20.1-3). Após o milênio, Satanás será solto da prisão e sairá a enganar os habitantes das nações que estão sobre os quatro cantos da terra, mas cairá fogo do Céu sobre seus exércitos... (Apocalipse 20.7-10).

 

 

 

 

 

Informação Importante:

Visite nosso site e veja outros estudos    

    www.idsdc.com.br 

Prezado amigo, se o assunto te parece interessante, entre em contato conosco e solicite o estudo completo. Informe também um email válido, e não esqueça de consultar sua caixa de E-mails e Spam regularmente.

Se preferir, você pode entrar em contato conosco diretamente pelo portal do site. É mais eficiente e fácil de controlar. Para isso clique em: Fale Conosco Estamos à disposição para atender em tudo que estiver ao nosso alcance.